São Paulo – Os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) participaram ontem do debate na TV Record e mudaram o tom do discurso, mais propositivos e sem grandes ataques. No debate do SBT, na quinta-feira passada, os dois candidatos se atacaram verbalmente e falaram em denúncias e trocaram acusações de nepotismo durante todo o programa. O tucano chegou a acusar Dilma de ser “leviana” e mentirosa.

Ontem, os principais temas tratados pelos candidatos foram o escândalo da Petrobras, o Supersimples, leis trabalhistas, segurança pública, emprego, inflação, corrupção, educação e saúde.

Antes do debate, a presidente Dilma disse que tem “muitas propostas para apresentar”, mas “é impossível escutar agressões, preconceitos e desrespeito sem responder”. “Vamos fazer a campanha olhando para o futuro, não olhando para o retrovisor”, afirmou o tucano ao longo do debate. De acordo com a última pesquisa Datafolha a disputa pelo Planalto continua extremamente acirrada. O senador Aécio Neves (PSDB) tem 51% dos votos válidos, a presidente Dilma Rousseff (PT) alcança 49%.

PETROBRAS

O tema mais quente do debate acabou sendo a Petrobras. Aécio perguntou se o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, deixará suas funções após ser citado por envolvidos no caso de corrupção da Petrobras. O tucano afirmou que faltou governança na gestão da Petrobras e ressalta que o tesoureiro do PT recebia uma porcentagem de propinas pagas por prestadores de serviço da estatal. Dilma rebateu a pergunta e pergunta se ele confia nas pessoas do PSDB que também foram acusadas pelo delator Paulo Roberto Costa. Dilma citou a delação do caso do cartel do Metrô e dos trens de São Paulo, e a época, Aécio teria dito que não dá pra acreditar em delator. Dilma diz que o presidente do PSDB teria recebido dinheiro para abafar uma CPI, ao contrário dela, que manda investigar, ela diz que nunca transferiu delegados de cidade para evitar investigações.

Sobre economia, outro tema que exaltou os ânimos dos candidatos, Dilma chamou Aécio de pessimista e negou que o crescimento brasileiro será só de 0,3%. A petista alegou que o Brasil tem uma das menores taxas de desemprego da história – 5%. A presidente acusou o PSDB de entregar o Brasil com uma alta taxa de desemprego, em 2002. No entanto, a metodologia atual só começou a ser aplicada em 2001, o que torna impróprias comparações com períodos anteriores.

Fonte: O Popular