O Egito atacou posições do Estado Islâmico na Líbia essa madrugada. O ataque seria uma resposta a um vídeo em que militantes do grupo radical decapitam 21 cristãos egípcios.

De acordo com as Forças Armadas egípcias, foram bombardeados quartéis, centros de treinamento e armazéns de armas dos terroristas. Três crianças e duas mulheres morreram no ataque.

Com o título “Uma mensagem com sangue para o povo da cruz”, o vídeo divulgado ontem, mostra os 21 reféns caminhando em uma praia acompanhados de homens encapuzados. Com trilha sonora assustadora e discurso de um dos assassinos, as imagens terminam com os reféns sendo arremessados no chão e em seguida decapitados.

Os homens assassinados pelo Estado Islâmico são Coptas, uma minoria étnica-religiosa descendente dos primeiros cristãos egípcios do século I. Eles são uma das maiores comunidade cristã do Oriente Médio e representam entre 10% e 20% da população egípcia.

(Informações Folha)