Aconteceu nesta terça-feira, 08/03/2022, a Assembleia Geral Unificada dos Servidores Públicos e Militares do Estado de Goiás. O Fórum em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos do Estado de Goiás, propôs a Assembleia a fim de garantir junto ao Governo a reposição salarial de acordo com a inflação, garantida pela Constituição Federal, que não foi depositada desde 2018 e já se encontra acumulada em 25,53%.


O reajuste salarial, que deveria ser discutido e quitado anualmente, não tem sido realizado, dado que o atual Governo não definiu um plano de pagamento. No entanto, no início de 2022 surgiram rumores sobre um possível “acerto de contas” entre Governo e servidores e em fevereiro o Governador do Estado, Ronaldo Caiado, anunciou publicamente que estaria aberto a iniciar as discussões sobre o pagamento deste direito, já garantido em lei. Assim, os líderes de entidades representativas se juntaram para discorrer sobre as possíveis propostas.


Houve duas reuniões prévias e o governo chegou a apresentar uma proposta de 5,5%, que foi rechaçada pelas entidades do Fórum. Em seguida o Executivo aumentou a porcentagem e propôs o pagamento de 10,16%, declarando que o Regime de Recuperação Fiscal (RRF), limita o reajuste à inflação de 2021. Os eventos culminaram na Assembleia Geral Unificada de hoje, quando cerca de 3 mil servidores se juntaram em frente à antiga Assembleia Legislativa do Estado de Goiás – ALEGO – para deliberarem a respeito desta última proposta.


Por fim, as entidades classistas aceitaram o índice de 10,16%, referente a recomposição da inflação do ano anterior. No entanto, o aceite não significa a quitação da dívida e o Fórum seguirá buscando o reajuste total.


Ainda hoje, a ata da Assembleia Geral Unificada será entregue com a decisão dos servidores ao secretário-geral da Governadoria, Adriano da Rocha Lima, para que o projeto seja enviado à ALEGO e assim seja efetuado o pagamento da data-base ainda neste mês de março.

Acompanhe o vídeo da Assembleia Geral Unificada: