O estoque de sangue do Hemocentro de Goiás (Hemogo) está abaixo do mínimo necessário. A afirmação é da coordenadora da Divisão de Captação de Medula Óssea do Hemogo, Ludmila Ferreira. “Nós somos um Hemocentro público e atendemos mais de 80 hospitais no Estado. Nossa demanda é muito maior que a de outros lugares. Hoje temos muita dificuldade para conseguir doadores fidelizados”, salienta Ludmila.

O Hemocentro coleta, em média, de 50 a 60 bolsas de sangue por dia. O mínimo necessário seria 150 bolsas todos os dias. “Esses 50 a 60 doadores que comparecem ao Hemocentro todos os dias são, em sua maioria, fidelizados. Algumas doações são de reposição de pessoas que têm familiares internados em algum hospital. Se cada pessoa doasse sangue duas vezes ao ano, não teríamos problema com o estoque”, completa.

O Hemogo tem unidades de coleta em Goiânia e no interior, nos municípios de Jataí, Catalão, Ceres e Rio Verde, onde funcionam os Hemocentros Regionais. “Nós temos também o Hospital das Clínicas (HC), que é uma unidade nossa de coleta, além de Porangatu, Quirinópolis e vários outros lugares no Estado”, lembra Ludmila Ferreira. A rede privada também faz coleta, mas apenas para os hospitais particulares. O Hemocentro de Goiás é a única unidade que distribui para a rede do Sistema Único de Saúde (SUS). As informações são da Agência Goiana de Comunicação.

Fonte: O Popular