O governo dos Estados Unidos admitiu nesta segunda-feira (13) que precisa rever a forma como vem trabalhando na prevenção de infecções por ebola. O diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês), Thomas Frienden, disse em uma entrevista coletiva que a confirmação do caso de contagio da enfermeira Nina Pham, 26 anos, revelou a necessidade de “repensar” protocolos e segurança.

A enfermeira está internada em Dallas, no Texas, e contraiu a doença quando cuidava do liberiano Thomas Duncan, que chegou aos Estados Unidos na última quinzena de setembro, apresentou os sintomas em território americano e faleceu na semana passada.

Frieden disse que, apesar de o país ser capaz de tratar com segurança o ebola de maneira que o contagio seja evitado, o “conhecimento” sobre isso pode não estar sendo disseminado de maneira correta. “Temos que rever a forma com a qual abordamos o controle de infecção do ebola. Até mesmo uma única infecção é inaceitável”, disse Frieden ontem na sede do CDC em Atlanta.

Sobre o estado de saúde da enfermeira contaminada, Frienden disse que a paciente está estável mas acrescentou: “O tratamento do ebola é difícil. Estamos trabalhando para torná-lo mais seguro e mais fácil”. As informações são da Agência Brasil.

Fonte O Popular