Tudo começou quando no dia 19 de maio de 1956, alguns subtenentes e sargentos reuniram-se no Quartel do Batalhão de Infantaria da Polícia Militar a fim de organizarem o Círculo Social dos Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar do Estado de Goiás, primeira organização da categoria do Estado de Goiás que atravessou o tempo e hoje é conhecida como Associação dos Subtenentes e Sargentos do Estado de Goiás.

Entre os pioneiros da ASSEGO, estava o Subtenente Marcílio Vieira, então presidente da comissão Provisória de Organização do Círculo, o Subtenente Januário Matias e o 1º Sargento Sebastião Arruda. Nessa reunião do dia 19 de Maio, eles já discutiram uma proposta de Estatuto, artigo por artigo, promovendo as alterações necessárias. No dia 03 de junho de 1956, data em que hoje é comemorado o aniversário da ASSEGO, na cidade de Goiânia, Quartel do 1º BPM, sob a presidência do Subtenente Marcílio Vieira dos Santos, foi realizada uma reunião para discussão e aprovação do Estatuto e eleição da primeira Diretoria a qual foi composta pelos seguintes militares:

 

Presidente: Marcílio Vieira dos Santos – Subtenente PM

Vice-presidente: Sebastião Arruda – 1º Sargento PM

1º Tesoureiro: Alcides Ferreira da Costa – 1º Sargento PM

2º Tesoureiro: Arlindo Cardoso de Oliveira 2º Sargento PM

1º Secretário: José Januário Matias – Subtenente PM

2º Secretário: Joel do Espírito Santo – 1º Sargento PM

1º Vogal: João Xavier da Silva – 3º Sargento PM

2º Vogal: Manuel Carvalho Pires – 3º Sargento PM

3º Vogal: Sebastião Vieira – 3º Sargento PM

Estes Homens iniciaram a trajetória que construiu nossa Entidade e que hoje tanto nos orgulha. No dia 10 de Junho de 1956, foi realizada a primeira reunião da Diretoria eleita, às 09h00min na sede do D.P.M., do 1º Batalhão de Infantaria em Goiânia, para tratar dos seguintes assuntos:

1. Visita ao Comando Geral;
2. Discutir questões relacionadas à administração do círculo. Na reunião o diretor do Departamento de Assistência Social Econômica e Jurídica, apresentou o regimento interno do seu Departamento, que foi aprovado por unanimidade, e em seguida o departamento de Educação e Cultura apresentou o projeto de regimento interno que também foi aprovado.

No dia 24 de Junho de 1956, o clube se reuniu para tratar sobre a necessidade da Entidade apressar o registro e publicação do Estatuto e informar aos associados sobre a importância do Círculo e seus benefícios para a categoria.

Durante as primeiras reuniões, problemas como a deficiência financeira e a não existência de uma sede eram considerados de grande entrave para a organização da categoria. No dia 12 de Agosto de 1956, o Círculo se reuniu para tomarem resoluções concernentes aos trabalhos de organização da Entidade. A luta pela sede continuou como prioridade da primeira Diretoria. A escassez de recursos era uma dificuldade a enfrentar.

Na reunião do dia 14 de Outubro de 1956, o então Major Pereira sugeriu que o Círculo poderia em suas palavras “ realizar suas reuniões em um compartimento existente no prédio na Av. Tocantins, no antigo Comando Geral”. Para compor o espaço funcional do Círculo, o Sgt Lino ofereceu à Diretoria do Círculo três cadeiras e o Sgt Roberto ofereceu uma cadeira. Nesta reunião foi debatida a possibilidade da publicação de um boletim trimestral informativo, o qual deveria se denominar “O CÍRCULO”, uma espécie de jornal, cuja primeira publicação ocorreria em 31 de outubro de 1956.

A equipe escolhida para produção do Boletim era composta pelos Sargentos Arcelino Roque, Sebastião Arruda e Hercules Wagner, porém, no dia 21 de outubro de 1956, o presidente do Círculo informou que a impressão dos 500 exemplares do jornal ultrapassou os valores que poderiam ser gastos, não podendo ser pago pela recém criada Associação e desta feita o presidente pediu a equipe responsável pelo trabalho que procurasse outras tipografias para que pudesse efetuar os serviços com um valor acessível.

Pelos registros no livro Ata, não foi possível identificar o dia do lançamento do Jornal O Círculo, mas, tudo indica que houve a publicação deste informativo, pois, na Ata do dia 23 de Julho de 1957, está registrado a indicação do Subtenente Desidério da Silva Campos para o cargo de Diretor do Jornal.