A solenidade teve como tema principal a disseminação da experiência educacional.

 

 

A Associação de Subtenentes e Sargentos (ASSEGO) esteve presente no IV Encontro Nacional dos Colégios Militares na cidade de Caldas Novas, interior de Goiás. O evento aconteceu nos dias 21 e 22 de novembro e reuniu várias autoridades militares e representantes educacionais de diversas partes do país.

A solenidade teve como objetivo central disseminar experiência no contexto educacional. Segundo a Secretária de Educação de Goiás, Fátima Savioli, a solenidade foi de grande importância para uma troca de experiências entre os colégios militares e espera, futuramente, a inclusão de gestores de escolas regulares.

Luis Alfredo Salinas Dias, Diretor de Administração de Educação de Quilhota (Chile), palestrou sobre o sucesso da gestão escolar no país que possui a melhor gestão educacional da América Latina. “O que trago do Chile para o Brasil, é a consideração da reforma educacional que estamos vivendo e também a atenção que damos para os responsáveis pelo ensino público no país”.

Além do corpo docente e diretores dos colégios militares de Goiás, como o capitão Divair Lourenço, diretor da unidade de Jussara, também prestigiaram o evento o Coronel do Exército Brasileiro Marcos Aurélio Zeni, representando o Ministro da Educação, Abraham Weintraub; o Major Vitor Hugo, deputado Federal e Presidente da Frente Parlamentar de Ensino; o Coronel Prado (Chefe de Estado Maior), representando o Governador; e a Comandante de Ensino do Estado de Goiás, Coronel Núria.

 

Planos para 2020: escolas cívico-militares

Com um ensino de destaque em seus estados, a gestão Bolsonaro deseja ampliar o modelo de escola cívico-militar para todo o país. Com a implantação das escolas, o Estado pretende reduzir índices de violência, evasão, repetência e abandono escolar. A meta proposta pelo governo federal é construir 216 escolas dentro destes moldes em todos os 26 estados até 2023.

Segundo o site de notícias o G1, “Os professores são civis e os militares cuidam da gestão, administração, disciplina, valores cívicos. É essa conjunção que causa os bons resultados […] Elas [as escolas cívico-militares] já existem, a gente está querendo aprofundar, implementar e expandir”, explicou o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Durante uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (21), o Ministério da Educação anunciou que teremos 54 novas escolas já em 2020. Algumas delas já existem e as aulas começam no início do próximo ano letivo. Em Goiás, existem 60 CEPMGs em 47 municípios goianos.