Em meio ao medo causado na sociedade goiana após as mortes de mulheres por um possível serial killer, o governo estadual anunciou reforços no grupo de segurança em Goiânia para combater a criminalidade. A reunião do Grupo de Apoio à Segurança Pública aconteceu nesta sexta-feira (15) no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

O presidente do comitê, o vice-governador José Eliton (PP), e o secretário estadual de Segurança Pública Joaquim Mesquita presidiram o encontro semanal. Para o vice-governador, combater a criminalidade não é um trabalho milagroso e depende do empenho dos agentes públicos. “Tenho certeza que vamos conseguir resultados à altura do que a sociedade espera”, torceu José Eliton.

A Secretaria de Cultura (Secult) e a Metrobus passaram a fazer parte do grupo de enfrentamento à criminalidade do governo estadual. Os dois órgãos e 15 outras Pastas do Estado discutiram o tema e apresentaram números e relatórios como resposta ao temor da sociedade de uma onda de criminalidade.

Para Joaquim Mesquita, os primeiros 15 dias de agosto trouxeram um balanço favorável, com redução de 50% nos homicídios. “Esses números confirmam nossa expectativa de redução expressiva nos índices de criminalidade, que compreendem os 15 bairros de atuação do grupo”, afirmou o secretário de Segurança Pública.

O governo tem tentado levar para as escolas atividades e ações que inibam o crime em locais mais próximos à comunidade, como o programa Cidadania nos Bairros. De acordo com as Secretarias de Cidadania e Trabalho (Sect) e a de Educação (Seduc), são realizadas palestras, oficinas, atividades esportivas e outras ações nos colégios estaduais em horários alternativos, fora daqueles em que acontecem as aulas.

O secretário de Cidadania e Trabalho Assis Peixoto disse que é perceptível, em pouco tempo de ação, alterações no cotidiano da comunidade. “O que queremos é que esse projeto seja perene e se estenda aos bairros que não estão na mancha criminal trabalhada pelo grupo”, explicou Peixoto.

A mesma empolgação na equipe do governo foi percebida na postura da superintendente da Seduc Vivane Pereira, que afirmou que já existem cerca de 500 inscrições para oficinas no último colégio em que o programa aconteceu. De acordo com superintendente, serão ampliadas as atividades oferecidas e o número de vagas para cursos como os de grafitagem para estimular a arte como uma forma de educação. A justificativa, para a Seduc, é de que esse tipo de ação coíbe a pichação.

Neste sábado (16), as atividades serão concentradas no setor Parque Amazônia, Região Sul da capital. O local atendido será a Escola Estadual Antônio Oliveira da Silva, com oficinas, esportes, ações socioeducativas e serviços de emissão de carteira de identidade, CPF, Carteira de Trabalho, Passaporte do Idoso, Cartão do Deficiente, fotos para documentos e orientação jurídica, oferecidos pela Sect. Testes de glicemia, pressão arterial, corte de cabelo, escova e limpeza de pele também serão ofertados à população.

Palestras, informações e ações nas ruas e casas desses bairros escolares são atividades realizadas pelo Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (Geed). A presidente do Geed Ivânia Alves disse que a participação da comunidade é a resposta do trabalho. A campanha Experimente a Liberdade de uma Vida Sem Drogas também distribui material informativo sobre os malefícios do uso de substâncias ilegais.

Fonte: O popular