Cerca de 300 militares de seis estados brasileiros participam de um treinamento com aviões de combate na Base Aérea de Anápolis (BAAN), a 55 km de Goiânia. A simulação ocorre com 30 aeronaves de outras bases do país, entre eles, os caças F5, responsáveis pela defesa do espaço aéreo brasileiro.

O treinamento, que dura 16 dias, ocorre até o próximo dia 3 de junho. As aeronaves decolam de Anápolis e segue para a região norte do país, onde realizam técnicas de combate. A cidade recebe o evento por conta das condições meteorológicas desta época do ano.

Uma das novidades deste ano é a presença de um avião que tem a função de rastrear informações de inimigos. Escoltado pelo caças, a aeronave possui um sensor de guerra eletrônico capaz de fazer varreduras no ar e achar até pistas de pouso clandestinas.Segundo o coronel Rodrigo Fernandes Santos, comandante da BANN, o treinamento exige uma coordenação muito grande entre os pilotos que estão voando juntos para que eles consigam usar os equipamentos com eficiência.

“Esses combates simulam os mísseis que nós temos que são de médio alcance, além do alcance visual do piloto. Para o lançamento, o piloto utiliza as informações que ele tem no avião, de radar ou de aviso de outros armamentos que estão o ameaçando”, explica.

Responsável por comandar a equipe que faz a defesa do espaço aéreo de Brasília, o major Claucio Oliveira Marques ressalta a importância do evento.

“As ações exigem bastante coordenação e treinamento. São várias aeronaves voando num espaço reduzido, utilizando vários sensores. É uma missão complexa que requer bastante planejamento para que seja executada corretamente”, diz.

FONTE G1 GOIAS