A cada 10 eleitores goianos, 6 ainda não sabem em quem votar para deputado federal e 5 para estadual, aponta pesquisa Serpes/O POPULAR, realizada dos dias 22 a 26 de setembro. Diante do alto índice de indecisos a uma semana das eleições e das dificuldades de escolha enfrentadas pelo eleitor, O POPULAR inicia hoje uma série de reportagens especiais sobre a disputa proporcional.

A série, intitulada Você Sabe Votar?, apresenta amanhã o passo a passo que o eleitor deve seguir para escolher bem um candidato. A reportagem apresentará ferramentas disponíveis para o eleitor checar informações sobre os postulantes, incluindo quem financia suas campanhas, bandeiras, atuação, processos na Justiça e a biografia.

Na segunda-feira, O POPULAR mostrará o que fizeram os 11 deputados federais que tentam a reeleição, com detalhes sobre frequência na Câmara dos Deputados, projetos considerados relevantes ou irrelevantes, atuação e evolução patrimonial. Já na terça-feira, será a vez de mostrar o trabalho dos deputados estaduais que tentam se reeleger. São 33 que estão atualmente no mandato e 26 levando em conta os que foram eleitos em 2010.

O Serpes ouviu 801 eleitores. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. As perguntas são diretas: Você já tem candidato para deputado federal? e você já tem candidato para deputado estadual? As respostas são sim ou não, com registro de quem não respondeu. Para deputado federal, 62,5% responderam não ter candidato e para estadual, 52,8%.

O grupo com maior taxa de eleitores sem nome para federal e estadual está em Goiânia: 65,1% e 62,2%, respectivamente. Na divisão por faixa etária, são os jovens que têm maior dificuldade em definir nomes para o Legislativo – 65% e 60,5%, respectivamente.

Na disputa para a Câmara dos Deputados, o maior índice de indecisos está entre os eleitores que apenas leem e escrevem: 70,3% estão sem nome definido para votar. No grupo que tem curso superior, há o menor porcentual de indecisão – 49,5%. Entre os que têm ensino fundamental, são 68,8% sem candidato. Já no universo dos eleitores com ensino médio, 57,3% não sabem em quem votar para federal.

Ainda na definição para deputado federal, as mulheres estão mais indecisas – 66,2% a 58,6% no grupo de homens entrevistados. Com exceção da Região Noroeste, onde a taxa de eleitores sem candidato é de 55,6%, em todas as demais regiões os índices estão de 60% para cima.

Sobre as eleições para deputado estadual, na Região Norte há o menor porcentual de indecisão – 36,4%. No Noroeste Goiano, 42,9% dos eleitores não definiram voto. Na demais regiões, o índice de indecisos supera 50%. Novamente, entre as mulheres a indecisão é maior – 57,8% a 47,4%.

Na divisão por idade, 47,6% dos entrevistados com 50 anos ou mais disseram não ter ainda um candidato a deputado estadual. É o menor porcentual. A indefinição para a Assembleia só não supera 50% entre eleitores com ensino médio – são 49%. No grupo com curso superior, 51,5% responderam não saber ainda em quem votar. Entre os que leem e escrevem, são 57%.

O fato de o eleitor ter de definir cinco votos – presidente da República, governador, senador, deputado federal e deputado estadual –, o destaque dado às eleições majoritárias, o modelo de voto proporcional, com uma grande quantidade de candidatos, e o desânimo da população com a atuação e as regalias vistas no Congresso e nas Assembleias ajudam a explicar o alto índice de indecisos.

No caso das disputas para o governo estadual e para a Presidência da República, por exemplo, o índice de indecisos nas pesquisas espontâneas são de 25,7% e de 12,4% – portanto bem abaixo das eleições proporcionais. Nas edições de amanhã e de segunda-feira, serão divulgados os dados do Serpes sobre intenção de voto para governador, senador e presidente da República, além das avaliações do governo de Marconi Perillo (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), ambos candidatos à reeleição.

Em Goiás, 95 candidatos obtiveram registro para a disputa por cadeira na Câmara dos Deputados. São 17 vagas para o Estado. Já para a Assembleia, com 41 cadeiras, são 710 nomes na corrida eleitoral.

Fonte: O Popular