A investigação sobre o acidente que matou um homem e os quatro filhos, no quilômetro 20 da BR-070 em Cocalzinho de Goiás, no Entorno do Distrito Federal (DF), na manhã de sábado, será realizada pelo Grupo de Investigações de Homicídios do município. O motivo foi uma carta deixada pelo condutor para a ex-mulher, que dizia que ela nunca mais veria as crianças. O caso poderá ser investigado como homicídio seguido de suicídio, já que há a possibilidade de ele ter provocado o acidente intencionalmente.

O delegado Renato Sampaio do 1º Distrito Policial de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do DF, onde foi registrado o caso, acredita que no momento do choque entre o veículo e o caminhão, o condutor não tentou desviar. Embora a ultrapassagem tenha sido feita em local permitido, o delegado também não encontrou nenhuma marca de frenagem do veículo. Na carta estaria escrito ainda que as crianças seriam levadas para “um lugar melhor”.

No entanto, ainda não há conclusão da perícia que comprove se houve tentativa de desvio, ou mesmo se houve ou não problema mecânico.

IMPACTO

Tainá Alves dos Santos, de 5 anos, Marcos Eduardo Alves dos Santos, de 4, Luciano Alves dos Santos, de 3, e João Pedro Alves, 2, morreram com impacto do Renault Clio, placa JGE-1809, do Distrito Federal, conduzido pelo pai Marcos Aurélio Almeida Santos, de 42, com um caminhão. Nos destroços do carro, que ficou completamente destruído, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não encontrou nenhuma cadeirinha para crianças.

O acidente ocorreu na manhã de sábado, com tempo bom. Não chovia na hora da colisão. Marcos Aurélio seguia rumo a Pirenópolis para levar os filhos para passarem o fim de semana. Ele dividia a guarda das crianças com a mãe, moradora de Brazlândia, no Distrito Federal, de quem se separou recentemente. O motorista do caminhão, que pediu para não ser identificado, nada sofreu com o impacto.

O motorista do caminhão disse, em entrevista ao jornal Correio Braziliense, que ainda tentou jogar a carreta para o acostamento, mas não deu tempo. “Quando percebi, o carro já estava embaixo do caminhão”, afirmou. A PRF submeteu o motorista ao teste do bafômetro, que constatou que ele não havia bebido.

Com o impacto da colisão, muito óleo lubrificante ficou espalhado pela pista da BR-070. O Corpo de Bombeiro, que enviou duas equipes ao local, teve de jogar terra sobre o asfalto, para absorver o óleo e evitar problemas para os demais veículos após a retirada do caminhão e dos destroços do Clio da pista – a rodovia ficou interditada por cerca de sete horas. Também foram enviadas ao local duas equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

FONTE: O POPULAR