Com previsão de redução de superintendências e mudanças de atribuições em algumas pastas, a reforma administrativa do Estado deve ser fechada hoje. A expectativa entre governistas ontem era que o governador Marconi Perillo (PSDB) anuncie as mudanças antes de sua viagem de descanso a Europa, prevista para a noite de hoje.

Marconi recebeu ontem do grupo responsável pelo estudo das alterações na estrutura administrativa as propostas de mudanças, mas ainda não havia fechado o projeto a ser enviado à Assembleia Legislativa. Os auxiliares do governo afirmaram ter recebido ordens para não falar a respeito das propostas.

O pedido do governador tem a ver com a decisão de evitar especulações e pressões e de anunciar ele próprio a reforma antes da viagem.

Nos bastidores, as informações apontam para redução de atribuições da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), que havia ganhado maior peso na reforma administrativa de 2011. Já a Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) deve se fortalecer, aglutinando novas funções.

O governador já disse que a reforma terá como objetivo enxugar a máquina e que pretende reduzir os cargos da chamada estrutura básica – cargos de chefia. A previsão é que haja o corte de superintendências. Algumas pastas no governo hoje têm de 10 a 12 superintendentes.

A aliados, Marconi tem dito que quer uma reforma profunda, mas há quem aposte em mudanças não tão radicais.

A tesoura também deve atingir mais cargos comissionados. Lei aprovada no final do ano passado determinou a extinção de 3,3 mil cargos até o final de 2014. Restam ainda mais de dois terços da quantidade estabelecida pela lei. Nos bastidores a informação é que podem ser extintos ainda mais 1,7 mil vagas, totalizando 5 mil. No ano passado, Goiás liderou ranking de Estados com maior número de comissionados e contratos temporários do País, segundo levantamento do IBGE.

Marconi deve voltar da viagem a Europa no dia 24 de novembro. A expectativa é de que o projeto de lei seja enviado à Assembleia ainda esta semana e que, até o retorno do governador, já tenha sido aprovado. Depois disso, o tucano deve intensificar as conversas para a definição do novo quadro de auxiliares.

Participaram ontem da reunião com o governador os secretários da Casa Civil, José Carlos Siqueira; da Fazenda, José Taveira; e de Gestão e Planejamento, Leonardo Vilela; e o controlador-geral do Estado, Adauto Barbosa Júnior. A pauta não foi apenas a reforma administrativa, mas também o encerramento do exercício financeiro.

Fonte: O Popular