A ex-gerente da Petrobras, Venina da Fonseca, em entrevista ao Fantástico neste domingo (21) contou mais detalhes sobre o processo em que delatou à direção da empresa os esquemas suspeitos de desvio de dinheiro.
Transferida para a Ásia após denunciar o esquema de corrupção e afastada da família, Venina afirmou que começou a fazer denúncias desde 2008, quando viu as primeiras irregularidades na área em que trabalhava.
Como a principal personagem das novas denúncias contra a Petrobras, a ex-gerente afirma ter reportado aos seus superiores todos os esquemas que iam contra o código de ética da empresa, inclusive a atual presidente, Graça Foster. A ela, Venina teria mandado um e-mail relatando os esquemas e ainda conversado pessoalmente, fato que Graça ainda não afirmou publicamente.
Entre os esquemas denunciados por Venina, estão as irregularidades de pagamentos de serviços não prestados, contratos superfaturados, negociações feitas que necessitavam de comissões extras, e outra “série de problemas que atingiu o código de ética da empresa”, afirmou.
Paulo Roberto Costa, Graça Foster, José Raimundo Brandão Pereira, José Carlos Consenza e Abílio Ramos foram os nomes citados pela entrevistada, que disse ter falado com “todas as pessoas que eu achei que poderiam fazer algo contra”.
Venina também afirmou que fez as denúncias baseada no orgulho que possuía da empresa e que hoje não possui mais. Por fim, apesar de confirmar sentir medo, ela também fez um apelo aos colegas de trabalho para que eles “denunciem os esquemas de corrupção que existem na Petrobras”, para que assim ela “volte a ser uma empresa respeitada”, afirmou.
Fonte: O Popular