O vice-governador José Eliton (PP) foi confirmado ontem como o primeiro titular de uma das chamadas supersecretarias criadas pela reforma administrativa do governo estadual. O pepista assumirá a partir de janeiro a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação, tornando-se desde já um dos nomes fortes da próxima administração e com espaço para se cacifar para a disputa pelo governo estadual em 2018.

O anúncio antecipado foi, segundo o governador Marconi Perillo (PSDB), uma forma de dissipar pressões de grupos interessados em assumir a pasta, cobiçada por partidos políticos e segmentos empresariais pela estrutura que agrega, junção das secretarias de Indústria e Comércio (SIC), Ciência e Tecnologia (SecTec), Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seagro) e Agência de Desenvolvimento Regional (AGDR).

“Quando se antecipa um anúncio como este é para evitar qualquer tipo de pressão e também resolvi fazê-lo agora por não ser uma indicação comum. Um assunto que envolve o vice-governador tem de ser tratado de forma diferenciada”, justificou o tucano em entrevista coletiva ao lado de Eliton, no Palácio das Esmeraldas. “É uma sinalização de que quero uma equipe com força política, não estou nomeando qualquer um”, completou.

Marconi, no entanto, deixou claro que vai participar diretamente da indicação dos nomes que vão ocupar as três superintendências executivas da supersecretaria, que vão cuidar de cada uma das áreas específicas na pasta e terão atribuições semelhantes às secretarias que estão substituindo. O tucano disse que pretende aproveitar na sua equipe atuais secretários que tenham bom desempenho.

O governador estabeleceu como meta para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico fazer com que Goiás alcance nos próximos quatro anos o posto de oitava maior economia do País. Atualmente, segundo os dados consolidados mais recentes do IBGE, relativos a 2012, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado foi de 123,9 bilhões, ficando atrás da Bahia, que registrou PIB de R$ 167,7 bilhões.

O vice-governador disse na coletiva que seu principal foco será aprofundar as políticas públicas de atração de novas empresas para o Estado. “Vamos fazer isto buscando diminuir as diferenças regionais. É muito importante crescer de forma harmônica”, disse José Eliton.

Na Assembleia, deputados da base governista comentavam ontem que, embora seja natural o vice-governador assumir um cargo de destaque, os espaços no governo estavam ficando menor sem que os aliados tivessem sido contemplados – pelo fato de Eliton acumular a função de vice. Reclamaram que Marconi tem atuado de forma muito isolada na reforma administrativa e na escolha de sua equipe, sem consultar seu grupo político.

No atual mandato de Marconi, José Eliton ocupou a presidência da Celg por onze meses, no primeiro ano do governo. Passou o ano seguinte por um período de menor evidência política, mas voltou a ganhar projeção após deixar o DEM e assumir a presidência estadual do PP, em julho de 2013. Seu desempenho na última disputa eleitoral, ajudando a coordenar a campanha em municípios do interior, foi considerado decisivo para valorizar seu passe junto ao governador.

Fonte: O Popular